Mercado nacional ganha player de peso com lançamento da Obit

Democratizar o mercado de investimentos para o maior número de brasileiros por intermédio da compra e venda de bitcoins, de forma responsável e segura. Essa é a proposta da Obit, empresa brasileira de compra, venda e transferência de bitcoins 100% mobile, lançada no ecossistema cripto do Brasil. Com investimentos de R$ 2 milhões, e projeção de aportes que totalizarão R$ 15 milhões até dezembro deste ano, a companhia espera chegar ao final de 2018 com uma carteira de 50 mil clientes e uma receita de R$ 6 milhões.

A Obit reúne em seu conselho consultivo importantes nomes do mercado financeiro e da nova economia, como Lísias Lauretti (ex. CIO do JP Morgan), Ray Nasser, além da chancela do escritório de advocacia Pinheiro Neto, um dos mais prestigiados do Brasil.

Em uma plataforma friendly e intuitiva, o ObitT possibilita investimentos a partir de R$ 30 reais. Além disso, para incentivar novos investidores, até 25 de julho não serão cobradas taxas para compra e venda, nem para depósitos no aplicativo. “A inclusão financeira é uma importante alavanca para criação de valor para a sociedade brasileira. Sendo fiéis e coerentes com os nossos valores, seremos uma relevante porta de acesso para os brasileiros aos ativos digitais. Qualquer um que possua um smartphone poderá usar o aplicativo para comprar e vender bitcoins”, defende o empresário Yosi Bekker, CEO da companhia.

Na visão de Bekker, não podemos impedir a inovação e o avanço da tecnologia e sua utilização enquanto se aguarda uma regulamentação específica. Para ele, o Brasil tem uma oportunidade única de aproveitar seu potencial e tornar-se uma das maiores comunidades de blockchain e criptomoedas da região, ocupando uma posição relevante no mercado global.

Diante desse cenário, a plataforma desenvolveu uma autorregulamentação que envolve diversos aspectos, entre eles o monitoramento das operações e a necessidade de comprovação de renda em casos de investimentos acima de R$ 10 mil, além de outras medidas para evitar fraudes e lavagem de dinheiro. Para conferir mais segurança para o investidor, a empresa utiliza reconhecimento facial e outros recursos tecnológicos, além de contar com a assessoria jurídica do escritório de advocacia Pinheiro Neto, o que garante à Obit e aos seus clientes a legalidade total da operação.

Sobre criptomoedas

Uma criptomoeda é uma moeda virtual, que usa a criptografia e a tecnologia chamada de blockchain para garantir o funcionamento descentralizado de negociações pela internet. Também chamadas de moedas virtuais ou digitais, elas são representadas por um código, que é escasso e difícil de ser alterado.

Por serem descentralizadas, elas podem ser transferidas de uma pessoa para outra sem a intermediação de um banco, o que é chamado de sistema ponto-a-ponto. O Bitcoin foi a primeira criptomoeda a ser criada e hoje é a mais cara e popular do mundo. Depois de disparar e despencar, o Bitcoin está amadurecendo e entrando em um período de estabilidade, segundo especialistas.

Os ativos digitais têm ganhado espaço entre investidores em fundos de hedge nos últimos meses. A maior bolsa de opções dos EUA, a Cboe, lançou no final do ano passado contratos futuros atrelados à moeda, caminho seguido pela Bolsa de Chicago, a maior de derivativos do mundo. Além disso, um dos maiores bancos de Wall Street, o Goldman Sachs, está montando uma equipe para negociar criptomoedas e será o primeiro grande banco de investimentos a apostar em moedas digitais. A Bolsa de Valores de Nova York também está trabalhando em uma plataforma de negociação on-line que permitará que grandes investidores comprem e mantenham Bitcoins.

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde defende a adoção de uma agenda regulatória que permita o crescimento dos ativos criptografados, como as moedas digitais ao estilo da Bitcoin, mas que isso ocorra sem frear a inovação trazida por essa tecnologia.

Sobre a Obit

A Obit é uma empresa de compra, venda e transferência de bitcoins, que em 2018 inicia suas operações no mercado brasileiro. Fundada por Yosi Bekker, empreendedor, formado pelo MIT e ex-consultor da McKinsey, conta com a chancela do Pinheiro Neto e com um board de primeira linha formado por Rodolfo Fischer (ex- tesoureiro do Itaú e ex-VP de Operações do Itaú BBA), Ralph Sapoznik, Lísias Lauretti (ex-CIO do JP Morgan) e Ray Nasser. A Obit chega ao mercado para mostrar que negociar ativos digitais pode ser uma experiência simples e segura, trazendo aos usuários inclusão e democracia financeira.

Recomendados para você

Deixar um comentário