O que é moeda digital e como investir com ela?

Nos últimos meses, moeda digital foi um tema presente em muitas rodas de conversa entre amigos, colegas de trabalho e familiares. Devido à oscilação na cotação do Bitcoin, procurou-se entender melhor o que são criptomoedas e também se vale a pena ou não investir nestes ativos digitais.

Se você continua com dúvidas a respeito e quer aprofundar seus conhecimentos, neste artigo vamos falar sobre moedas digitais e sua origem, bem como sua utilização como reserva de valor. Confira!

Afinal, o que é moeda digital?

Uma moeda digital é o dinheiro eletrônico, ou seja, que não utiliza papel-moeda e é transacionado totalmente por meio digital. Entre elas, estão criptomoedas, que são também geradas de forma eletrônica, processo possibilitado pela tecnologia do Blockchain. Cabe lembrar, entretanto, que nem toda criptomoeda é um criptoativo, como muitos pensam.

A primeira moeda digital nesta categoria é o Bitcoin, que foi criado em 2009 e hoje é o criptoativo mais consolidado no mercado – tanto pelo número de usuários quanto pela rede de voluntários e pela tecnologia que o circundam. Existem, é claro, outras moedas digitais ou criptoativos, sendo os mais conhecidos Ether, Ripple, Monero, Litecoin e Dash. Ao longo dos próximos anos, devemos acompanhar o nascimento de mais criptomoedas como estas, que serão desenvolvidas para diferentes fins e perfis de uso.

O Bitcoin é uma moeda digital segura, protegida pela tecnologia da criptografia e totalmente descentralizada. Isso significa que ela não depende de instituições como Bancos ou Governo para existir, garantindo desburocratização e independência quanto a posições ou incertezas políticas, por exemplo.

Com o Bitcoin e outros criptoativos, é possível construir um novo cenário de democratização e inclusão financeira em todo o mundo, com acesso facilitado ao mercado global e mínimas restrições para seu uso. Com o app Obit, por exemplo, pode-se comprar frações de Bitcoin a partir de R$ 30,00 e, a partir disso, transferir valores para qualquer outra carteira no mundo com taxas reduzidas e de forma praticamente instantânea.

Moedas digitais como reserva de valor

Uma moeda digital como o Bitcoin permite transações menos burocráticas entre pessoas, como transferências internacionais instantâneas e com baixo custo. Mas, devido à sua valorização recente, ele começou a ser visto também como uma possibilidade de investimento.

A verdade é que o Bitcoin pode ser visto como uma reserva de valor semelhante ao Ouro, que tem variações em sua cotação de acordo com a oferta e a demanda do mercado. Assim como o Ouro, ele também é limitado. Até hoje, já foram minerados cerca de 17 milhões do limite de 21 milhões de Bitcoins. Sua escassez, portanto, quando associada ao aumento da demanda, gera uma valorização em sua cotação. Ou seja, faz seu preço aumentar, possibilitando rentabilidade para quem o possui.

Dicas para investir com moeda digital

Comprar e vender Bitcoin, portanto, pode ser uma forma de investir seu capital. Mas, para isso, é preciso seguir algumas lições básicas, que compartilhamos abaixo!

Levar em consideração o risco

Assim como investir em ações, negociar Bitcoin é uma alternativa de risco. Ou seja, você pode ter ganhos significativos, mas também ser impactado por baixas na cotação. Por esta razão, ao comprar e vender esta criptomoeda, tenha o mesmo tipo de precaução que teria como investidor da Bolsa ou de outros investimentos de risco.

Diversificar carteira de investimentos

Uma dessas precauções, inclusive, é diversificar sua carteira de investimentos. É assim que você garante que seu capital cresça de forma composta e segura. Ou seja, além de negociar Bitcoin, tenha também aplicações mais conservadoras (como o Tesouro Direto) e até mesmo outras de risco, como mercado de ações.

Orientamos que você comece a investir em Bitcoin com pequenos valores, que possam ser compensados pelo rendimento desses outros investimentos caso haja queda na cotação.

Fazer aportes recorrentes

Outra dica é dividir ao longo do tempo o valor total que deseja negociar em Bitcoin. Caso este valor seja de R$ 1.200,00 em um ano, por exemplo, uma estratégia a seguir é fazer compras mensais de R$ 100,00 do que um único aporte. Assim, você é capaz de mitigar temporalmente o risco desta opção de investimento.

Ter um objetivo de longo prazo

Outra consideração importante sobre negociar Bitcoin como forma de investimento é fazer isso considerando um médio ou longo prazo, de pelo menos 12 meses. Desta forma, você não fica sujeito a ter que vender “ou sair” do investimento numa baixa de curto prazo, uma vez que esta moeda digital ainda experimenta bastante volatilidade.

Negocie Bitcoin com cautela e planejamento

Como em qualquer outro investimento de risco, cabe lembrar que negociar moedas digitais como Bitcoin exige planejamento e cautela. O investimento deve representar uma pequena parcela do seu capital, não mais de 10% e não se deve esperar por resultados milagrosos em um curto período. Investir com regularidade e de forma diversificada é um comportamento financeiro que precisa fazer parte da sua rotina se quiser aumentar seu capital com segurança e máxima rentabilidade.

Quer começar sua experiência com compra e venda de ativos digitais? Baixe o app da Obit para iOS ou Android!

Recomendados para você

Deixar um comentário